Já falamos aqui sobre o avanço e a evolução da tecnologia e telecomunicações, e como foram as transformações dos dispositivos celulares ao longo das décadas, incluindo seu visual, tipos de conexões e também a evolução do chip, de físico, para chip virtual.

Avançamos um pouco na linha do tempo para falarmos como esse chip virtual realmente funciona, o que podemos esperar para as próximas atualizações tecnológicas e como essa mudança impacta na usabilidade dos nossos tão queridos smartphones.

Por enquanto, ainda não temos o chip virtual na Fluke.  MAS, como estamos em constante evolução, fique de olho nas nossas redes sociais pra novidades! 👀

foto de um smartphone ao lado de 3 chips de celular alinhados
Tanto os modelos de celular quanto de chips evoluiu junto à evolução da tecnologia

Afinal, o que é um chip virtual?

Também chamado de cartão virtual, o eSIM (Embed Subscriber Identity Module) foi lançado no início de 2019 e está se popularizando cada vez mais. Corresponde a uma espécie de SIM Card embutido no dispositivo e não pode ser trocado com facilidade como o chip físico que já conhecemos.

A tecnologia de chip virtual é compatível apenas com alguns aparelhos específicos. A lista era pequena no início, mas vem ganhando mais espaço desde então.

O Módulo Embutido de Identidade do Assinante (eSIM) é um chip com as mesmas funcionalidades do chip tradicional, permite a comunicação entre dispositivos, armazena dados como agenda, informações de planos e preferências, e também registro de linha.

Porém, essa versão de chip digital é fabricada diretamente dentro do hardware, ou seja, dentro do próprio aparelho, sem a necessidade de precisar inserir/removê-lo, assim como funciona a tecnologia dos chips NFC, utilizada em pagamentos sem contato. Ele apenas precisa ser suportado pela rede e habilitado pela operadora.

Basicamente, o eSIM opera por meio de um QR Code que permite a utilização de uma linha telefônica sem a necessidade de um chip físico. Ao comprar um novo aparelho não é preciso adquirir um novo chip ou se preocupar com o tamanho do mesmo, por exemplo. Basta começar a utilizar o smartphone depois de ativá-lo.

Vantagens e Desvantagens do eSIM

Muitas operadoras de telefonia já oferecem chips virtuais a seus clientes, o que torna mais fácil na hora de trocar de operadora já que você não precisa ir até uma loja para comprar um novo chip.

Entre os seus benefícios, vale o destaque para a praticidade para ativar ou transferir as linhas; a segurança, uma vez que os dados presentes no smartphones poderão ser bloqueados em caso de perda ou roubo; e a própria conservação do chip.

Além disso, uma das principais características da tecnologia é a possibilidade de contar com múltiplas linhas em um mesmo telefone, e não só duas, como já acontece hoje com os aparelhos Dual Chip.

Isso só é possível porque, atualmente, os smartphones que suportam a tecnologia eSIM têm, pelo menos, suporte para mais um SIM card físico. Assim, caso esse mesmo celular seja dual-SIM  (apto a receber dois chips físicos) e ainda for equipado com a tecnologia eSIM, no total, oferecerá suporte a até três linhas diferentes.

Mas como nem tudo são flores, entre as desvantagens do eSIM a primeira tem a ver com não poder trocar facilmente de telefone, a não ser que entre em contato com a sua operadora, já que seus dados e planos estarão armazenados no seu eSIM.

Também existe a possibilidade de um aparelho estar sendo vendido exclusivamente por uma operadora, o que fará com que ele venha pré-configurado com a rede determinada pela empresa.

homem sorrindo ao mexer em seu iPhone 11
Entre os smartphones com suporte ao eSIM, estão as linhas mais recentes do iPhone

Quais smartphones já oferecem a opção de chip virtual?

A tecnologia do eSIM é apoiada pela GSMA (Sistema Global para Comunicações Móveis) que definiu o padrão para este tipo de chip em todo o mundo. A Apple e a Samsung se tornaram parceiras da organização e já estão implementando em seus celulares e dispositivos.

Como essa é uma tecnologia relativamente nova, apenas os celulares mais novos possuem compatibilidade. A mudança ocorrerá gradualmente, então não há o risco de perder o número por utilizar chips físicos.

Para quem usa iPhone, o recurso está presente em todos os modelos a partir do iPhone XS. Ou seja, iPhones 11, 12 e 13 são compatíveis. Essa inclusive, é a única maneira possível de usar duas linhas em um mesmo iPhone, já que a empresa nunca ofereceu um dispositivo dual chip.

No iPhone 13 também é possível utilizar dois eSIMs no mesmo aparelho. Já os rumores envolvendo a linha iPhone 14 promete a abolição total do slot físico para chip SIM, sendo possível apenas o uso do chip virtual.

Para usuários Android, a compatibilidade com eSIM está presente em aparelhos Samsung a partir do S20, Google Pixel a partir do 3 e nos top de linha de marcas como Motorola e Huawei. Veja a lista completa de telefones, tablets e computadores compatíveis com o serviço.

Mulher segurando um telefone com uma das mãos e um tablet com a outra
Nem todos os celulares aceitam o chip virtual, mas a tendência é que mais modelos se adaptem à tecnolodia

Tanto o iOS quanto o Android suportam o uso de chips virtuais e chips SIM padrão ao mesmo tempo, mas isso vai depender também do aparelho utilizado. Isso significa que você pode configurar seu cartão SIM físico para mensagens de voz e texto, enquanto seu cartão eSIM fornece os dados móveis, por exemplo.

Também será possível fazer ativação de uma linha pessoal e corporativa no mesmo aparelho com a utilização das duas modalidades, física e virtual. A tendência é que com o lançamento de novos modelos por parte das empresas fabricantes o público terá mais acesso à nova tecnologia a preços cada vez mais acessíveis.


Você pode pedir o seu chip físico pelo nosso site para aproveitar a liberdade de ser Fluke desde já!